Buscar
  • GMA Creative Firm

CÉZANNE, VAN GOGH E MONET. QUANDO O TALENTO ULTRAPASSA A DOENÇA

Para celebrar o Dia do Artista, destacámos três figuras incontornáveis da pintura que fizeram da sua fraqueza a sua força


Paul Cézanne (1839-1906) traçou as principais linhas do pós-impressionismo e abriu as portas para o cubismo. Uma das hipóteses para esse avanço na arte, além do indiscutível talento do artista, terá sido uma dificuldade na sua capacidade de ver: o pintor que desenhava paisagens através de formas geométricas sofria de miopia. A incapacidade de ver de forma clara fez Cézanne explorar outras formas de representar a realidade.




Vincent Van Gogh (1853-1890) é conhecido pelos seus deslumbrantes girassóis, campos de milho e céus estrelados. Em todas essas obras, o amarelo vibra e domina. Além de algumas doenças físicas e mentais, há estudos que apontam para o facto de Van Gogh ter xantopsia, um distúrbio da visão associado à icterícia em que os objetos observados tendem a ter um tom dominante amarelado.




É aos 32 anos, com a obra intitulada “Impressão, nascer do sol”, que Monet (1840-1926) inaugura e dá nome ao Impressionismo. Anos depois, em 1912, o pintor procura um especialista indicando fortes sintomas, como visão turva e dificuldade em distinguir as cores. Estes problemas de visão terão surgido pelo facto de Monet preferir pintar ao ar livre, procurando os efeitos vibrantes da luz na natureza, passando muitas horas com os olhos expostos ao sol e, por consequência, à radiação ultravioleta. Diagnosticado com catarata em ambos os olhos e acuidade visual de 20/200 no seu melhor olho, Monet prolongou o seu trabalho recorrendo à memória de imagens reais, escolhendo a cor nos rótulos dos tubos e tendo uma paleta perfeitamente organizada. Em 1899, Monet pinta a Ponte Japonesa no seu jardim em Giverny. Entre 1918 e 1922, o pintor tenta captar a mesma realidade, mostrando a deterioração da sua visão, mas não da qualidade da sua arte.



Descobertas paralelas demonstraram como a saúde e a doença influenciaram os grandes mestres da pintura.